quarta-feira, 1 de junho de 2011

"A matéria que calou o mundo."


ESSA CALOU OS AMERICANOS.!!!
SHOW DO MINISTRO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO NOS ESTADOS UNIDOS



Essa merece ser lida, afinal não é todo dia que um brasileiro dá um esculacho educadíssimo nos americanos!

Durante debate em uma universidade, nos Estados Unidos,o ex-governador do DF, ex-ministro da educação e atual senador CRISTÓVAM BUARQUE, foi questionado
sobre o que pensava da internacionalização da Amazônia.

O jovem americano introduziu sua pergunta dizendo que esperava a resposta de um Humanista e não de um brasileiro.

Esta foi a resposta do Sr.Cristóvam Buarque:

"De fato, como brasileiro eu simplesmente falaria contra a internacionalização da Amazônia. Por mais que nossos governos não tenham o devido cuidado com esse patrimônio, ele é nosso.

"Como humanista, sentindo o risco da degradação ambiental que sofre a Amazônia, posso imaginar a sua internacionalização, como também de tudo o mais que tem importância para a humanidade.

"Se a Amazônia, sob uma ética humanista, deve ser internacionalizada, internacionalizemos também as reservas de petróleo do mundo inteiro.O petróleo é tão importante para o bem-estar da humanidade quanto a Amazônia
para o nosso futuro. Apesar disso, os donos das reservas sentem-se no direito de aumentar ou
diminuir a extração de petróleo e subir ou não o seu preço."

"Da mesma forma, o capital financeiro dos países ricos deveria ser
internacionalizado. Se a Amazônia é uma reserva para todos os seres humanos, ela não pode ser queimada pela vontade de um dono, ou de um país.
Queimar a Amazônia é tão grave quanto o desemprego provocado pelas decisões arbitrárias dos especuladores globais. Não podemos deixar que as reservas financeiras sirvam para queimar países inteiros na volúpia da especulação.

"Antes mesmo da Amazônia, eu gostaria de ver a internacionalização de todos os grandes museus do mundo. O Louvre não deve pertencer apenas à França.
Cada museu do mundo é guardião das mais belas peças produzidas pelo gênio humano. Não se pode deixar esse patrimônio cultural, como o patrimônio natural Amazônico, seja manipulado e instruído pelo gosto de um proprietário
ou de um país. Não faz muito, um milionário japonês,decidiu enterrar com ele, um quadro de
um grande mestre. Antes disso, aquele quadro deveria ter sido internacionalizado.

"Durante este encontro, as Nações Unidas estão realizando o Fórum do Milênio, mas alguns presidentes de países tiveram dificuldades em comparecer por constrangimentos na fronteira dos EUA. Por isso, eu acho que Nova York,
como sede das Nações Unidas, deve ser internacionalizada. Pelo menos Manhattan deveria pertencer a toda a humanidade. Assim como Paris, Veneza, Roma, Londres, Rio de Janeiro, Brasília, Recife, cada cidade, com sua beleza específica, sua historia do mundo, deveria pertencer ao mundo inteiro.

"Se os EUA querem internacionalizar a Amazônia, pelo risco de deixá-la nas
mãos de brasileiros, internacionalizemos todos os arsenais nucleares dos EUA. Até porque eles já demonstraram que são capazes de usar essas armas, provocando uma destruição milhares de vezes maiores do que as lamentáveis queimadas feitas nas florestas do Brasil.

"Defendo a idéia de internacionalizar as reservas florestais do mundo em troca da dívida. Comecemos usando essa dívida para garantir que cada criança do Mundo tenha possibilidade de COMER e de ir à escola.
Internacionalizemos as crianças tratando-as, todas elas, não importando o país onde nasceram, como patrimônio que merece cuidados do mundo inteiro.

"Como humanista, aceito defender a internacionalização do mundo.
Mas, enquanto o mundo me tratar como brasileiro, lutarei para que a Amazônia
seja nossa. Só nossa!



ESTA MATÉRIA NÃO FOI PUBLICADA, POR RAZÕES ÓBVIAS. AJUDE A
DIVULGÁ-LA, SE POSSÍVEL FAÇA TRADUÇÃO PARA OUTRAS LÍNGUAS QUE DOMINAR. 

Relatório - Algorítimo da subtração


Módulo de Matemática
Tutor Lorival Pereira da Silva
Escola: Centro de Educação “Profª Alanira Benedita de Carvalho Brito”. APAE
Cursista: Dilna Aparecida Rufino de Queiroz
Inocência - MS


RELATÓRIO


Fascículo 2 – Operações com números naturais - Algoritmos





Iniciamos nosso encontro sobre algoritmo da subtração, sabendo que algoritmo é o processo da operação, usamos quando precisamos emprestar, ou quando passamos para dezena, centena ou milhar, quando saímos do básico. Também discutimos sobre a nomeclatura, alguns professores acham que não devemos cobrar do nosso aluno a nomeclatura, mas o tutor nos orientou que devemos ensinar de maneira correta a linguagem matemática, pois não precisa ser obrigatório o aluno aprender, mas pode ser necessário em algum momento da vida deste aluno. A nomeclatura deve ser ensinada nas séries iniciais de maneira complexa juntamente com as operações, para que não a torne obrigatória.
Aprendemos que quando trabalhamos o básico devemos oportunizar o aluno o cálculo mental, com materiais que proporcione este aluno as descobertas, como brincadeiras que dispõe o aluno a pensar e contar mentalmente.
A multiplicação e a divisão podem se tornar uma das operações mais fáceis se usarmos de maneira inteligente a reta numérica, como mostrou nosso tutor, a reta numérica trabalha multiplicação e divisão de maneira lúdica e prazerosa. “Bota mágica”, foi uma das melhores idéias que vi neste curso do pró letramento achei a maneira mais dinâmica, lúdica e correta de ensinar tabuada aos meus alunos,
Ao aplicarmos esta atividade devemos primeiramente aplicar em folha, que nosso tutor também o fez, para que o aluno aprenda como ele irá fazer para contar os pulos da “bota”, com múltiplos de um número, este escolhido pelo professor. O tutor nos proporcionou participar da brincadeira das botas mágicas, fazendo uma reta numérica com fita adesiva no chão, onde nos ensinou que devemos primeiro contar uma história dramatizar para que os alunos se motivem mais a participarem. Fizemos várias situações em que nos mostra que com criatividades e dinamismo podemos incrementar nossas aulas e trazer nossos alunos para o novo para o atual.
Na seção 4 aprendemos que usamos o algoritmo quando estamos trabalhando com 2 números ou mais, caso contrário seria uma operação básica, esta pode até ser resolvida de maneira mental, pois é somente com um número, não precisa emprestar. O tutor Lorival nos trouxe o material dourado e sanou várias dúvidas sobre como efetuar operações de multiplicação usando este material e disse que o professor deve proporcionar o aluno descobrir como seria simplificado ele aprender efetuar usando o material dourado, o aluno irá descobrir que ele pode resolver todas as operações com este material.
 

Relatórios


Módulo de Matemática
Tutor Lorival
Escola: Centro de Educação “Profª Alanira Benedita de Carvalho Brito”. APAE
 Cursista: Dilna Aparecida Rufino de Queiroz
Inocência - MS

Atividade Aplicada no
3º ano Ensino Fundamental
Número de alunos: 17 alunos
Professora Mariusa Rodrigues Lima Azambuja.
Dia 13/04/2011
Vespertino

Relatório Fascículo 7 – Resolver problemas: o lado lúdico do ensino da matemática.


TI 4: Descobrindo os segredos dos Jogos (Leituras e atividades complementares).
Após ter jogado e termos discutido as potencialidades dos jogos:
  1. Converse com seus colegas e elabore situações-problema para que seus alunos possam resolver. Não se esqueça de levar em consideração as questões discutidas no módulo sobre resoluções de problemas.
  2. Aplique pelo menos um dos jogos em sua sala de aula. Lembre-se de estar atento às jogadas de seus alunos e fazer intervenções necessárias.
  3. Leve as situações-problema criadas por você para a sala de aula e peça aos alunos para as resolverem.



Jogo do KALAH


Este jogo foi nos apresentado neste fascículo 7, e desde então, tornou-se um sucesso.
Por conta disto resolvi aplicar na sala com o propósito de incrementar a aula com situações-problema criadas após as jogadas.
Organizei o espaço para que todos, mesmo os que não estavam jogando participassem e fosse já se aprimorando para quando fosse a sua vez de jogar, estivesse interagido jogo com o jogo, e deu super certo.
Fizemos os combinados para que houvesse a colaboração de todos principalmente quem estivesse assistindo aos colegas, pois estes que estivessem fora das jogadas era para ir marcando os resultados de cada elemento da dupla. As duplas teriam três rodadas, e assim possibilitar trabalhar bem com situações-problema após todas as jogadas.
Apresentei dois jogos do kalahs para que fosse jogado por duas duplas, com isto dar tempo para todos terem oportunidade de participar.
 Antes de começarmos as jogadas, foi escolhido no “dois ou um”, quem seriam as duplas que iriam começar.
Iniciado o jogo, fomos marcando cada final de rodada os pontos de cada participante que no caso eram 4, pois com dois jogos do kalah havia 4 participantes jogando.


Observação: um dos jogos de KALAH era jogado com pirulitos no lugar das sementes ou outro grão, este jogo foi confeccionado em placa de isopor e bocas de garrafas peti transparente.

Durante o jogo foi uma euforia todos opinavam nas jogadas, mas sem prejudicar o andamento do jogo, e assim foram realizadas as etapas com a participação de todos os alunos formando 8 duplas, e um que jogou duas rodadas pelo fato de serem 17 alunos. Finalizado o jogo começamos a colher os resultados, e colocá-los no quadro, usando as operações de adição e subtração, mas houve um momento e um aluno ao ver o resultado de um colega que tinha feito a mesma pontuação nas três rodadas, disse que poderia então multiplicar o resultado por três que conseguiria a resposta mais rápido que na adição.

Situações-Problema
Exemplos:
1.      Quantas duplas foram formadas?
2.      Quantas rodadas cada dupla jogou?
3.      Quantos pontos cada um fez nas três rodadas em que participou?
4.      Quantos pontos a Yasmim fez a mais que a Dutiely?

Durante as respostas, percebi o quanto foi grandioso a realização deste trabalho, pois com um simples jogo, podemos fazer descobertas, ensinar de maneira lúdica e agradar nossos alunos ao mesmo tempo. O uso do pirulito após o jogo foi outra festa para eles, o retorno que nossos alunos nos dão quanto elaboramos uma atividade pensando em ensinar e tornar momentos agradáveis é maravilhoso. Os alunos não queriam mais parar de jogar, e eles mesmos iam anotando, pois com três jogadas o resultado final da dupla às vezes surpreendia quem havia ganhado duas rodadas, pois com a diferença de números em uma das jogadas, dava a vitória para aquele que havia ganhado uma só vez, mas com diferença grande de pontuação.




"A principal meta da educação é criar homens que sejam capazes de fazer coisas novas, não simplesmente repetir o que outras gerações já fizeram. Homens que sejam criadores, inventores, descobridores. A segunda meta da educação é formar mentes que estejam em condições de criticar, verificar e não aceitar tudo que a elas se propõe." (Jean Piaget) 

"Nesta vida pode-se aprender 3 coisas de uma criança: estar sempre alegre, nunca ficar inativo e chorar com força por tudo que se quer."Leminski